Exagerou na comida e na bebida? Veja como fazer um “detox” depois das festas de fim de ano

As festas de final de ano costumam ser intensas, cheias de banquetes e momentos especiais com amigos, colegas e a familiares.  Depois dos exageros das celebrações, férias e tudo mais, começam a surgir as famosas dietas “detox”, que ganharam espaço na pauta fitness de alguns anos para cá, com a popularização do suco verde. Hoje parece normal, mas há pouquíssimo tempo uma bebida com essa coloração soaria bem esquisito e faria a maioria das pessoas torcer o nariz para essa ideia.

Apesar de estarmos mais familiarizados com o suco verde e com o termo “detox”, ainda surgem muitas dúvidas sobre como fazer essa dieta e se realmente funciona. Depois das festas de final de ano, será que você precisa dela? Confira:

O que é a dieta “detox”?

A dieta “detox” não é feita só de suco verde e nem é líquida, apenas com sucos e sopas, como muitos acreditam. Embora, se bem executada, possa ajudar a eliminar gordura, também não é uma dieta de emagrecimento. O “detox” tem como objetivo eliminar toxinas após algum episódio de exagero. É claro que nosso corpo consegue fazer esse processo naturalmente. As toxinas são detoxificadas por enzimas do fígado, rim e intestino, mas não custa nada dar uma ajudinha evitando colocar mais substâncias tóxicas pra dentro, não é mesmo?

Se o objetivo é eliminar toxinas, a dieta “detox” vai priorizar alimentos naturais como frutas, verduras e cereais. Em contraponto, irá excluir alimentos industrializados e processados, corantes, açúcares, conservantes, cafeína e bebidas alcoólicas.

Há diferentes protocolos: sete dias, 14, 28 e por aí vai. É importante que cada um tenha uma estratégia nutricional elaborada individualmente.

Quais alimentos são bons para o “detox”?

O selênio tem papel importante na detoxificação, atua como cofator para produção da glutationa peroxidas, que está ligada diretamente ao controle de radicais livres em tecidos inflamados. A castanha-do-pará é uma ótima fonte de selênio.

Vitaminas E, C e betacaroteno também têm função antioxidante. Boas fontes de vitamina E: gema de ovo, nozes, semente de gergelim, espinafre e agrião. Fontes de vitamina C: brócolis, manga, acerola, pimentão, mamão e goiaba. Alimentos ricos em betacaroteno: maracujá, brócolis, abóbora, cenoura e damascos.

Quais as desvantagens do detox? Quando é uma boa opção?

A dieta “detox” inclui restrição de alguns alimentos (industrializados e processados), então não deve ser seguida por muitos dias. Quando realizada sem acompanhamento pode causar fraqueza, tontura, déficit de proteínas, desequilíbrio de vitaminas e minerais.

Para começar qualquer dieta, é preciso procurar um profissional para que as necessidades nutricionais sejam atendidas.  Quando acompanhado por especialista, o “detox” pode ajudar o organismo na eliminação de toxinas, diminuir a retenção de líquidos e ser um ótimo pontapé para uma dieta saudável.

Iniciar pelo “detox” pode dar mais energia e levar a mais disposição para dar sequência a uma alimentação equilibrada. Pode ser o empurrãozinho que você precisa para resgatar hábitos saudáveis e uma rotina alimentar equilibrada.

Compartilhar agora..

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter